O Mistério do Voo 967

O voo Varig 967 é conhecido internacionalmente como o único jato civil que desapareceu sem deixar sinais de sua existência.

O Mistério do voo 967

O cargueiro partiu da cidade de Tóquio, no Japão, por volta das 20h23m do dia 30 de janeiro de 1979, rumo ao Rio de Janeiro. Exatamente as 20h45m, o piloto Gilberto Araújo da Silva havia realizado seu primeiro contato com a torre de controle, não relatando nenhum problema com o avião. O segundo contato estava previsto para as 21h20m, mas não aconteceu. Aproximadamente meia hora após deixar o Japão, o voo 967 desapareceu sobre o Oceano Pacífico, à cerca de 200 km da costa japonesa.

A noite estava nublada e fria, mas nada que atrapalhasse um voo do tipo. Todas as formalidades foram cumpridas, o avião estava com totais condições de voo e completamente carregado com combustível. Sua decolagem não havia apresentado nenhuma anomalia.

Nenhum corpo, nenhum destroço, por menor ou maior que seja, jamais foi encontrado. Nenhuma pista, nenhum relato, nenhuma mensagem fora enviada antes do desaparecimento. Nada mesmo, fazendo do voo 967 o maior mistério da aviação de todos os tempos.

Quando amanheceu e pelos 8 dias seguintes, equipes de busca procuraram por meio de barcos, aeronaves, submarinos intensamente – mas nunca encontraram qualquer registro do cargueiro da Varig ou dos 6 tripulantes mortos.

Se o avião tivesse explodido no ar, explicaria o motivo de nenhuma mensagem ter sido enviada, mas seus destroços se espalhariam pelo mar, deixando muitos vestígios, o que não aconteceu, além é claro, de manchas de combustível.

Se o avião apresentasse alguma falha, haveria tempo de se obter uma comunicação, ou seja, o que quer que tenha acontecido, foi rápido demais. Ou não.

A aeronave levava consigo uma carga um tanto incomum, que pode ou não ajudar na solução do caso: quadros do pintor Manabu Mabe, avaliadas em US$ 1,24  milhão, na época. Além disso, o avião transportava outros materiais menos valiosos, como mercadorias diversas.

Hipóteses

  • Será que o avião teria sido sequestrado, já que carregava uma carga tão valiosa? Difícil, até por que as tais obras jamais foram encontradas em lugar nenhum.
  • O avião teria sido abatido pelos soviéticos, por motivos desconhecidos. O ex-rádio operador da FAB (Força Aérea Brasileira) lançou o livro “O Mistério do Voo 967″ explicando que o que aconteceu não foi um acidente, e que o avião teria penetrado no espaço aéreo soviético – e seus tripulantes poderiam ter sido mortos.
  • Após a aeronave atingir uma altitude considerável, teria acontecido uma lenta despressurização na cabine, mas não chegou a explodir o avião. Os tripulantes aos poucos foram perdendo a consciência, e teriam morrido lentamente, com o avião em piloto automático. Seguindo essa lógica, o avião teria voado por um longo período sozinho, e teria caído quando seu combustível acabou. O avião poderia estar em algum lugar remoto da Terra, longe de onde as buscas se iniciaram.

E você leitor, o que acha que aconteceu com o Voo 967? Não deixe de comentar!

Artigo sugerido pelo leitor Fizófolo de Apucarana

Lucas Rabello tem 19 anos, mora em São Paulo, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, apaixonado por ciência, adora esportes, rock e livros de suspense. É administrador do Mistérios do Mundo (projeto que criou em 2011) e escreve diariamente para o site.

Comentar com o Facebook