Kingoodie: o martelo de 400 milhões de anos

Um curioso objeto descoberto no século XIX intrigou muitos pesquisadores em meados dos anos 1980. Trata-se de um martelo rudimentar, encontrado pelo renomado cientista David Brewster, na cidade de Kingoodie, na Escócia. Até os dias de hoje ninguém conseguiu explicar todas as perguntas levantadas a seu respeito.

Brewster estava estudando fósseis no ano de 1844, quando descobriu o objeto, que havia sido levado para análise imediatamente. De acordo com as datações iniciais, que eram muito imprecisas na época, eles concluíram que a ferramenta havia sido produzido na Idade de Pedra.

Martelo de Kingoodie

Mas o objeto voltou à ser assunto para a arqueologia no ano de 1985, quando uma nova datação revelou algo impressionante. A análise realizada por pesquisadores do Centro Britânico de Pesquisas Geológicas estimou a idade do martelo em algo construído no período Devoniano, que abrange 360 a 410 milhões de anos atrás. Algo ou alguém está errado nessa história.

Eras Geológicas

Hoje sabemos com razoável certeza que nessa época a Terra  era povoada por animais marinhos primitivos. Somente cerca de 300 milhões de anos depois que os primeiros dinossauros surgiram (no período Jurássico), portanto teorizar que havia alguma espécie humana ali beira o absurdo.

Então, analisaremos alguns fatos.

Martelo de Kingoodie

Note que o martelo está enterrado em um placa de arenito. A datação pode ter sido realizada sobre essa placa, e não sobre o martelo em si. Então a primeira hipótese que temos é que o martelo foi perdido por alguma civilização, e a erosão pode tê-lo enterrado, e confundido os pesquisadores.

Agora, note a aparente composição do martelo. Ele provavelmente é feito por um cabo de madeira e em sua cabeça algum tipo de metal, talvez ferro. Isso indica que quem quer que tenha criado o objeto, já possuía noções de metalurgia, para aplicar a fundição. A primeira análise de que o objeto foi criado na Idade da Pedra soa como irreal, já que somente muito tempo depois a humanidade adquiriu tal conhecimento.

Por fim, algo ainda mais estranho. Um objeto com centenas de milhões de anos de idade já não teria se decomposto? Sim, se formos analisar a composição do objeto. Se ele fosse construído nessa época, ele simplesmente não deveria existir.

Alguns pesquisadores acreditam que o objeto foi contaminado desde que foi descoberto, e quando analisado recentemente, a datação se tornou muito imprecisa.

Outras teorias ainda mais esquisitas afirmam que uma civilização viveu nos primórdios da Terra, mas foi extinta. Outros dizem que extraterrestres vieram até aqui e esquecerem um martelo, mas convenhamos que o objeto é muito rudimentar para uma civilização super-avançada tê-lo.

Infelizmente o objeto caiu no esquecimento ao longo do tempo, deixando para trás muitas perguntas e poucas respostas que possam saciar nossa curiosidade. E você leitor, qual é sua teoria para explicar o Martelo de Kingoodie?

Lucas Rabello tem 19 anos, mora em São Paulo, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, apaixonado por ciência, adora esportes, rock e livros de suspense. É administrador do Mistérios do Mundo (projeto que criou em 2011) e escreve diariamente para o site.

Comentar com o Facebook