EUA queriam explodir bomba atômica na Lua em plena Guerra Fria

Documentos descobertos recentemente revelam que o governo norte-americano planejava explodir uma bomba atômica na Lua no auge da Guerra Fria para intimidar sua rival, a União Soviética (URSS).

 Bomba atômica na Lua

O projeto, denominado Project A119 consistia em enviar um míssil com uma bomba atômica e lançá-lo contra nosso satélite natural, à quase 400 mil quilômetros de distância. A explosão poderia ser vista da Terra, e poderia trazer sérios danos para a Lua.

Tudo isso para intimidar os soviéticos, sendo também uma resposta para o fato da URSS ter colocado o primeiro satélite artificial em órbita, em 1957.

Uma bomba atômica foi escolhida pelos EUA ao invés de uma bomba de hidrogênio, que era a mais poderosa do arsenal norte-americano, porque era mais leve e os custos para enviá-la até lá seriam menores.

Felizmente, o plano foi abandonado devido à vários temores sobre segurança, incluindo os efeitos que a explosão traria para a Terra. O então jovem astrônomo Carl Sagan estava envolvido no projeto, sendo o responsável por calcular os efeitos que a explosão traria para o satélite natural.

Ao invés de explodir partes dela, os norte-americanos apostarem em outra ideia para vencer a Guerra Fria:  ir até a Lua, iniciando a corrida espacial, no qual os EUA saíram vitoriosos com a chegada do primeiro homem na Lua em 1969, evento que até hoje é tema de polêmicas.[The Sun]

Lucas Rabello tem 19 anos, mora em São Paulo, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, apaixonado por ciência, adora esportes, rock e livros de suspense. É administrador do Mistérios do Mundo (projeto que criou em 2011) e escreve diariamente para o site.

Comentar com o Facebook