Edward Mordake: o homem de duas faces

Edward Mordake foi supostamente um herdeiro de um importante cargo na Inglaterra no século XIX, além de um brilhante músico. Tinha tudo para viver muito bem, mas era portador de uma rara síndrome denominada Craniopagus parasiticus, que acontece quando os crânios de gêmeos não se separam e dividem o mesmo corpo.

Boneco de certa feito em homenegem a Edward Mordake

Boneco de cera feito em homenegem a Edward Mordake

Segundo diziam, Mordake, visto de frente, era um homem encantador, mas escondia um rosto adicional aterrorizante na nuca, que era incapaz de comer ou falar, mas podia rir e chorar.

Sua verdadeira história foi distorcida ao longo dos anos – não há nem mesmo um consenso sobre sua data de nascimento ou morte, de modo que não resta quase nenhuma fonte concreta para os pesquisadores atuais.

Relatos dizem que Mordake pediu aos médicos uma cirurgia para a remoção de sua segunda face, pois ela supostamente sussurrava coisas assustadoras e incompreensíveis durante a noite. Ele  mesmo dizia que quando estava triste, sua outra face ria como se estivesse zombando de seus sentimentos. Diziam também que os olhos da segunda face acompanhavam o movimento de outras pessoas.

Após ter seu pedido negado por diversos médicos, Mordake decidiu se suicidar aos 23 anos. Existem duas versões sobre sua morte: na primeira, ele teria se suicidado com veneno, e na segunda, com um tiro em um dos olhos da segunda face.

Nas duas versões,  Mordake teria deixado uma carta pedindo que sua face monstruosa fosse destruída de seu crânio antes do sepultamento, para que ele não continuasse ouvindo os sussurros macabros no túmulo. A carta também pedia para que ele fosse enterrado em um lugar deserto e sem lápide.

Mordake viveu sua vida complemente isolado. Não tinha amigos e se recusava a receber visitas de sua família. [Wikipedia]

Lucas Rabello tem 19 anos, mora em São Paulo, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, apaixonado por ciência, adora esportes, rock e livros de suspense. É administrador do Mistérios do Mundo (projeto que criou em 2011) e escreve diariamente para o site.

Comentar com o Facebook